Pages

domingo, 23 de janeiro de 2011

Os donos da rua


Precisei ir a um compromisso na Assembleia Legislativa do Estado nesta sexta-feira (21), na hora do almoço. Fui de carro, já que às sextas-feiras o trânsito consuma ser tranquilo pelas redondezas. Eu disse "costuma".

Um lado da Praça da Matriz - onde se localiza a ALERGS - tem proibição de estacionar, por ser ponto de táxi e de ônibus. Mas ainda havia três lados!

Fui direto pra uma área em frente à Catedral, onde há uma placa informando que são permitidos apenas carros oficiais. Como já fiquei dezenas de vezes ali, com carro oficial, sem ter onde estacionar em função das dezenas de carros particulares, sabia que a placa era solenemente ignorada. Qual foi a minha surpresa quando um agente da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) - os populares azuizinhos - não me deixou pôr o carro ali e nem passar para tentar encontrar outra vaga. Bom, versada nas artes da lábia, convenci o moço a, pelo menos, me deixar passar.

OK, vamos procurar uma vaga em frente ao Theatro São Pedro. Ali, a despeito de todas as vagas estarem desocupadas, caminhões da Brigada Militar, do Exército, ambulância e o que mais se puder imaginar de aparato militar impediam a aproximação.

Questinando um cidadão que se apresentou muito cheio de poderes, o rapaz fardado me explica que o espaço está bloqueado por uma questão de segurança nacional, visto que o vice-presidente da República encontra-se próximo (descobri depois que o Michel Temer estava na Assembleia recebendo uma medalha que tenho minhas dúvidas sobre o mérito, enfim...).

Enquanto eu fazia um milhão de perguntas, o tal fardado ameaça me prender por desacato à autoridade! Eles tomam conta da rua, não fazem nenhuma sinalização nem próximo ao local, e o cidadão que paga seus impostos - e, consequentemente, o salário daqueles todos - não pode sequer ser informado do que está acontecendo!

Fiquei muito indignada. OK que o vice-presidente precise de medidas de segurança - deve ter mesmo um monte de gente querendo atirar uma bomba nele, ainda mais depois de conhecerem a "viúva" -, mas o resto do mundo não pode parar por isso. É muito complicado colocar um agente orientando as pessoas?! Custava um mínimo de preocupação com quem não estava ali a passeio?!

2 comentários:

Laura disse...

heheheheh, aqui tem umas "coisas" dessas de vez em qdo... as otoridades tb se vestem de azul e se acham os cawbois do asfalto em termos de orientaçao.
Abraços

Fanzine Episódio Cultural disse...

COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
O Fanzine Episódio Cultural é uma jornal bimestral sem fins lucrativos, distribuído na região sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Belo Horizonte, Salvador-BA e Rio de Janeiro. Para participar basta enviar um poema, um conto; ou matérias sobre esporte, moda, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, sinopses, curiosidades, folclore, saúde, artes cênicas e dramáticas, música, fotografia, etc (em Times Roman 12).
Favor anexar uma fotografia sua, ou alguma imagem relacionada ao conteúdo. Caso o artigo não seja seu, favor informar a fonte.

PARA ENTRAR COM CARLOS (Editor)
Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
machadocultural@gmail.com
http://www.fanzineepisodiocultural.blogspot.com

LinkWithin